quarta-feira, 11 de maio de 2011

A onipresença da música clássica

Muita gente tem preconceito com música clássica, achando ser "música de velho" ou coisa do tipo.
O que essas pessoas não percebem, é que elas próprias escutam música clássica desde crianças.
Quem nunca escutou "Für Elise" de Beethoven? Também conhecida por leigos como a "música do caminhão de gás", esta é uma das canções mais conhecidas:

Esta famosa canção também é muito executada em filmes e desenhos animados (Confira a postagem: Música clássica e os desenhos animados), além de servir como toque de chamada em terminais de PABX e em telefones celulares.

Você com certeza já viu em filmes, seriados, ou em um programa de TV qualquer, um casamento tocando de fundo: "tarararam-tarararam-tarararam tarararam tarararam tarararam tarararaaaaam"... Enfim, confiram:

A famosa "Wedding march", também conhecida por aqui como "coro nupcial", ou "Aí vem a noiva" do compositor Richard Wagner. Utilizada nas cerimônias de casamento mais tradicionais, é provável que todo o mundo já deva ter escutado esta música pelo menos uma vez na vida.

Quem nunca já sentiu sono com a famosa "Lullaby" de Brahms:

Grande música, que nos remete à infância e à bebêzinhos cuti-cuti.

Outra grande composição é a "Funeral march" do compositor Chopin, conhecida mundialmente é outra canção onipresente que todos já ouvimos pelo menos uma vez na vida:

Como o próprio nome diz, a "Marcha fúnebre" remete à morte, mesmo não sendo necessário tal título, pois a música clássica tem um feeling tão forte e marcante, que é possível identificar a mensagem de suas melodias só pelo som.

Bônus!
Com certeza vocês já escutaram esse toque, e provávelmente, esta melodiazinha os deixam aos nervos, de tanto que alguns de vocês devem escutar... Esta melodiazinha é o toque de celular da Nokia:


Pois esta musiquinha que dá nos nervos de tanta gente é a "Gran vals" do grande violonista clássico
Francisco Tárrega:


Isso prova a capacidade de tais composições, com certeza se tais músicas não tivessem tamanha qualidade de composição elas não soariam em nosso ouvidos depois de séculos, e de forma tão onipresente.
Quem acredita que em 2100 ainda irão escutar bandinhas como NX Zero ou Restart?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não é permitido Spam ou comentários ofensivos.